"A cozinha é o mundo mais fascinante da casa, o mais coletivo. Um espaço que reúne sobrevivência, prazer, refinamento e civilização." (Nélida Piñon)

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Dica! Alcachofras de São Roque


No final de semana fomos fazer turismo rural numa cidade a apenas 60 Km de São Paulo - São Roque, para conhecer uma Fazenda de Alcachofras, uma vez que a colheita teve início neste mês de setembro e vai até dezembro.

Como "São Pedro" ajudou e, contrariando as previsões dos metereologistas, não caiu uma gota de chuva, foi o passeio perfeito, pois tivemos a oportunidade de conhecer mais sobre esta flor-alimento e colher alcachofras diretamente no pé!

Além de São Roque, municípios vizinhos (Ibiúna, Mairinque e Capão Bonito) formam um pólo que produzem 85% das alcachofras consumidas no país.






Na lojinha da Fazenda Bonsucesso você degusta os vários tipos de conservas e pratos feitos com (claro) alcachofra, além de outras com berinjela, sardela....




Além da Fazenda Bonsucesso, pelo caminho, você vai ver placas de inúmeras propriedades que abrem suas porteiras para que você colha suas alcachofras!!!



São Roque não vive só desta flor!!!
Pela belíssima Estrada do Vinho, existem inúmeras Vinícolas.

Não deixe de conhecer os Doces Santa Adélia......um lugar especialmente lindo, principalmente para quem tem crianças, com muito verde, fazendinha, play ground e claro, doces maravilhosos.
Ah, fazem também pastéis de.....alcachofras......


À partir do dia 09 de outubro, as sextas, sábados, domingos e feriados, até 02 de novembro, vai acontecer a 17ª. Expo São Roque, uma feira de Alcachofras e Vinhos, onde como atrações haverá a pisa da uva, stands das vinícolas da cidade, mercado da alcachofra, restaurantes especializados em alcachofra, bandas, grupos regionais, shows, enfim, um evento com inúmeras atrações.

Confira programação e informações no www.exposaoroque.com.br



"Ao saborear uma alcachofra, além de consumir um poderoso alimento, você estará se deliciando com uma flor exótica e medicinal. Conheça aqui, as virtudes dessa delícia.

Na verdade, a alcachofra (Cynara scolymus) que consumimos é uma flor imatura, pertencente à mesma família das margaridas e dos girassóis - a família das Compostas. Conta-se que ela saiu do jardim e foi para a mesa na época do Império Romano, quando suas propriedades nutritivas e medicinais foram descobertas e a alcachofra passou a ser privilégio apenas da mesa de nobres e reis. Hoje, felizmente, não é preciso ser nobre para desfrutar deste privilégio (apesar do preço ser às vezes proibitivo!).

Considerada uma iguaria exótica, esta hortaliça parece ter sido feita para ser deliciada a cada pétala e não para ser devorada. Afinal, dela consumimos apenas a parte carnuda das "pétalas" e o "fundo" da flor, depois de retirados os espinhos. O trabalho é compensador, se levarmos em conta suas excelentes propriedades nutritivas e medicinais: a cada 100g comestíveis, encontramos boas doses de vitaminas do complexo B, potássio, cálcio, fósforo, iodo, sódio, magnésio e ferro. A lista de suas qualidades terapêuticas também é digna de registro. Para começar, o sabor amargo estimula as secreções digestivas. A água do cozimento da alcachofra é um verdadeiro chá de efeito diurético, estimulante da vesícula biliar e ativador da digestão.

Aliás, a alcachofra é considerada um eficiente auxiliar da digestão e a ciarina – substância encontrada na planta – pode melhorar as funções do fígado. A medicina popular já consagrou esta iguaria como um perfeito alimento-remédio, ideal para as pessoas com problemas hepáticos e para os diabéticos.

Várias experiências realizadas com o extrato da alcachofra atestaram sua eficiência na redução do excesso de gordura no sangue, porém, o simples fato de consumí-la já traz inúmeras vantagens, entre elas, o poder de combater anemias e raquitismo, pela boa dose de ferro e vitamina C que contém.

Proibida para mulheres?

Quando se fala em alcachofra é preciso esclarecer alguns enganos. No início do texto as palavras pétalas e fundo aparecem entre aspas. Isso porque o que se chama de "flor" na planta é, na verdade, uma inflorescência. A flor é constituída por um capítulo de grandes dimensões do qual consumimos apenas o receptáculo carnudo – chamado "fundo ou coração da alcachofra". As partes chamadas impropriamente de pétalas são as brácteas da planta.

Feita a observação, vale a pena lembrar que as alcachofras sempre tiveram suas propriedades reconhecidas. Na Antigüidade, elas já eram utilizadas pelos médicos no preparo de medicamentos contra a febre, doenças do fígado, reumatismo e até como antidepressivo. Mas convém contar uma passagem não tão gloriosa desta planta: ao que parece, por volta do século XVI, o consumo da alcachofra na França chegou a ser proibido para mulheres. É que a esposa do rei Henrique II, a italiana Catarina de Médicis, adorava alcachofras e corria a fama de que a iguaria era um poderoso afrodisíaco. O comportamento da esposa do rei não devia ser muito exemplar, pois, juntando uma coisa com a outra, acharam que as damas não deviam comer alcachofras e viram por bem, proibir o consumo apenas pelas mulheres.

Perfeita no prato

As alcachofras foram trazidas para o Brasil pelos imigrantes europeus, há cerca de 100 anos. Nativa do sul da Europa e norte da África é uma planta de clima temperado a frio (média de 20 graus C) e áreas úmidas. Em regiões quentes vegeta bem, mas não forma os botões florais comestíveis.

De agosto a novembro, estamos em plena época de colheita da alcachofra. É quando a encontramos com ótima qualidade e melhores preços. São quatro as variedades mais encontradas no mercado: Violeta de Proença, Roxa de São Roque, Verde Lion e Verde Grande da Bretanha.

A maioria dos nutricionistas concorda: o ideal é consumir a alcachofra no mesmo dia da compra, pois ela começa a perder suas qualidades logo depois de colhida. Na hora da compra, recomenda-se escolher as que apresentarem talo longo e inflorescência firme e bem arroxeada. Para os apreciadores desta flor comestível, os "espinhos" só devem ser retirados após o cozimento - é quando chegamos ao gran finale da iguaria: o famoso fundo da alcachofra. Outro detalhe: recomenda-se consumir a planta logo após o cozimento ou preparo, para melhor aproveitamento de suas propriedades medicinais e nutricionais.

Dicas para preparar a alcachofra:

Corte o talo perto da base e lave a alcachofra em água corrente abrindo bem as pétalas para que a água penetre.

Deixe de molho em água com sal e algumas gotas de limão ou vinagre para não escurecer.

No cozimento, use panelas esmaltadas ou em aço inoxidável. As panelas de alumínio escurecem a alcachofra.

O tempo médio de cozimento é de aproximadamente 40 minutos, dependendo do tamanho e idade da alcachofra. Em panela de pressão o tempo cai para uns 20 minutos.Para saber se a alcachofra está cozida, é só puxar uma folha: se ela se soltar com facilidade é porque está no ponto.

No cozimento, evite o excesso de água: coloque o suficiente para cobrir metade da alcachofra.

Os talos das alcachofras também podem e devem ser aproveitados. Para isso, é só retirar a parte fibrosa que os envolve, descascando-os com uma faca. Depois, deixe os talos mergulhados em água com limão ou vinagre durante alguns minutos e leve para cozinhar por 30 minutos ou 15 minutos em panela de pressão."

Fonte: Jardim de Flores



As receitas com alcachofra virão aos poucos.....elas ainda estão na cozinha esperando um destino a altura de tanta nobreza......


23 comentários:

  1. Tania, que linda flor da alcachofra, quero conhecer este lugar encantador...já comi com salada, creme...é muito gostosa, mas nunca preparei nada :(
    parabens pelas informações, adorei vê-la em flor...
    bjs
    Paula

    ResponderExcluir
  2. Tânia, a flor da alcachofra e lindíssima. Aqui pertinho da minha casa tem a Chácara das Alcachofras. Ano passado estive lá, com intenção de fotografar a flor, mas não tinha nenhuma. Essas fotos com a flor você tirou agora? É o tipo de passeio que me agrada muito.
    Também acho que tem preço meio exorbitante, mas que são gostosas e saudáveis, nem se discute. Só eu gosto aqui em casa.
    Vou aguardar as receitas.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. Tanita quando eu era criança minha mãe fazia bastante alcachofra na época dela...cresci e não aprendi a fazer...Vou esperar suas receitas já que a mamy mora longe...he,he,he.Bjs

    ResponderExcluir
  4. Tânia eu moro em Sorocaba e trabalho entre outro lugares em São Roque... adoro esse lugar! Pastel de alcachofra é uma coisa maravilhosa!
    Estamos planejando um encontro de blogueiras em Sorocaba para outubro, vamos fazer o convite formal quando decidirmos a data, mas ja estou te adiantando, é só seguir um pouquinho a mais do que são Roque e chega aqui!

    Bjs

    ResponderExcluir
  5. então esteve na vizinha S Roque, realmente vale a pena o passeio. bjs

    ResponderExcluir
  6. Paula
    Se vier para São Paulo até dezembro, vale a pena conhecer, sim!!!

    Gina
    Estas fotos tirei ontem....a primeira, com o besouro verde e amarelo, foi minha filha quem capturou e eu fiquei encantada.Os preços por lá estão mais honestos (em relação a capital). Uma caixa estava por R$ 18,00 com 14 unidades grandes e acabadas de colher. Mas em pontos para explorar o Turista, ao invés do Turismo, eram bem mais caras. E se não aproveitar agora, depois nem sonhar, né?
    Bj

    Lourdes
    Eu sempre fiz ao vinagrete, mas estou em busca de sabores novos....vamos ver o que sai...

    Tati
    Quem sabe conheço minhas amigas Sorocabanas...me avisa, se conciliar eu vou. Obrigada!

    ResponderExcluir
  7. Passeios da Familia Fernandes sempre são recheados de cultura!
    Obrigada por compartilhar estas maravilhas conosco!
    bjs

    ResponderExcluir
  8. Eu ADORO alcachofras!!! Ainda mais com essas informacoes oportunas que voce colocou. A flor eh lindissima.
    Legal saber que Sao Roque tem plantacoes delas.
    Aqui perto de onde moro tambem, muitas plantacoes a perder de vista.

    Bjs

    ResponderExcluir
  9. Como sempre, elucidativa nas sua matérias, parabéns pela aula mais uma vez.
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Tânia querida
    Que aula em...
    E que flores maravilhosas, que plantação
    Nunca tinha visto nem em fotos plantações de alcachofras, achei maravilhoso
    Bjs

    ResponderExcluir
  11. ai ai... eu ia já hoje eheehh
    Quem sabe um dia :-D

    ResponderExcluir
  12. Tânia,
    Esse é o meu tipo de passeio, espairecedor e instrutivo (ainda mais, de instrução referente à culinária!). Adorei saber mais sobre a alcachofra e as cidades interioranas do Brasil. Aproveitei para dar uma lida no post anterior,
    sobre o 'cointreau' caseiro (eu tenho que otimizar o meu tempo, tão curto!) e gostei muito da receita!
    beijinho.

    ResponderExcluir
  13. Tânia,
    que passeio ma-ra-vi-lho-so!! Ando com tanta vontade de ir até ao campo, ainda por cima este ano as férias foram na cidade, fiquei com nostalgia.

    Nunca comi alcachofra, adorei os seus ensinamentos, aprendi imensa coisa.
    Mas mesmo que não gostasse do sabor dela, só pelo passeio já ia ficar fã. Além de que é muito linda, a flor.

    bjs

    ResponderExcluir
  14. Bellissimo ed istruttivo questo tuo post.Non conoscevo alcuni dettagli della storia dei carciofi, in particolare che in un periodo della storia fosse vietato alle donne. Siamo un po' lontane altrimenti farei volentieri una capatina alla fiera.
    Ciao Daniela.

    ResponderExcluir
  15. Tânia, a minha cidade natal é Sorocaba, pertinho de S.Roque. Preciso ir lá sem falta quando for prá aquelas bandas. Lindas fotos! Aguardo suas receitas.

    bjs

    ResponderExcluir
  16. ah..amiga..São Roque é lindo..adoro ir lá....mas....não conhecia essas fazendas de alcachofras!!!amei essa sua materia..e..quero vêr as receitas..acredite:numca tentei fazer nada com a bela alcachofra!!!!bjus e bom dia..li

    ResponderExcluir
  17. Tânia,
    que lindo post!
    Ano passado fomos a São Roque na festa das Alcachofras...foi uma delícia! Não sabia que dava para ir colher...
    Que linda a flor!!!
    Um beijo! Ótima semana!

    ResponderExcluir
  18. Eu moro do ladinho de São Roque.
    Todo ano vou a Festa da Alcachofra.
    =)
    Beijos
    Fla

    ResponderExcluir
  19. Tania querida,olha a coincidencia, comprei ontem no mercado algumas alcachofras, como smpre faço só no temperinho básico, estava procurando outra opção quando vim aqui e vi essa matéria linda. Adorei a história da Catarina de Médicis, era só o que faltava, a madame saracoteia por aí e agente paga o pato?
    Lindas fotos, meu marido vai sempre a Sorocaba a trabalho, já pedi a ele que dê um pulinho em Sã Roque, afinal o preço vale a pen, ontem pague mais que o dobro por cada uma, em relação ao preço que vc falou da caixa. Bom, isso aui já virou um livro...BJUSS!!!

    ResponderExcluir
  20. Tania
    Adorei o texto,a flor que nao identificava,vou aguardar as receitas.Apesar de gostar nunca a preparei.
    Beijos

    ResponderExcluir
  21. Boa dicas, vou sempre a Ibiúna, e esticamos até a estrada do vinho, mas sempre a parada é na Vinicola Goes onde compramos vinhos, aproveitamos o verde e almoçamos.

    Vou xeretar esses outros lugares.

    Bjs

    ResponderExcluir
  22. taninha, ano passado o Ale perdeu uma aposta e teve que ir comigo até a feira da alcachofra! sou alucinada por elas.. hoje encontrei no ceasa e já coloquei para cozinhar..

    bjao pra vc,
    glau

    ResponderExcluir